• Biblioteca Municipal de Alcobaça - 1

    Biblioteca Municipal de Alcobaça

  • Biblioteca Municipal de Alcobaça - 2

    Biblioteca Municipal de Alcobaça

  • Biblioteca Municipal de Alcobaça - 3

    Biblioteca Municipal de Alcobaça

  • Biblioteca da Escola basica2 Frei Antonio Brandao - 1

    Biblioteca da Escola Básica 2 Frei António Brandão da Benedita

  • Biblioteca da Escola basica2 Frei Antonio Brandao - 2

    Biblioteca da Escola Básica 2 Frei António Brandão da Benedita

  • Externato Cooperativo da Benedita

    Biblioteca do Instituto N. Sr.ª da Encarnação - Externato Cooperativo da Benedita

  • Escola Básica 1 Alcobaca -1

    Biblioteca da Escola Básica 1/JI de Alcobaça

  • Escola Basica 1 - alcobaca - 2

    Biblioteca da Escola Básica 1/JI de Alcobaça

  • Escola Basica Frei Estevao Martins

    Biblioteca da Escola Básica 2/3 Frei Estêvão Martins

  • Centro de estudos de Universidade de Coimbra

    Biblioteca do Centro de Estudos Superiores da Universidade de Coimbra

  • Epadrec

    Biblioteca da Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Císter

  • Biblioteca da escola basica de Alfeizerao

    Biblioteca da Escola Básica 1 de Alfeizerão

  • Biblioteca da escola basica e secundaria de SMP

    Biblioteca da Escola Básica e Secundária de São Martinho do Porto

  • Biblioteca da Escola Básica 1 de Pataias

Universidade de Coimbra

Ao assinar o “Scientiae thesaurus mirabilis”, D. Dinis criava a Universidade mais antiga do país e uma das mais antigas do mundo. Datado de 1290, o documento dá origem ao Estudo Geral, que é reconhecido no mesmo ano pelo papa Nicolau IV. Um século depois do nascimento da nação, germinava a Universidade de Coimbra. Começa a funcionar em Lisboa e em 1308 é transferida para Coimbra, alternando entre as duas cidades até 1537, quando se instala definitivamente na cidade do Mondego. 

Inicialmente confinada ao Palácio Real, a Universidade espraiou-se por Coimbra, modificando-lhe a paisagem, tornando-a na cidade universitária, alargada com a criação do Pólo II, dedicado às engenharias e tecnologias, e de um terceiro Pólo, devotado às ciências da vida. Estudar na Universidade de Coimbra é dar continuidade  à  história  da  matriz  intelectual  do  país,  que  formou  as  mais  destacadas  personalidades  da cultura, da ciência e da política nacional. 

Com mais de sete séculos, a Universidade de Coimbra conta com um património material e imaterial único, peça  fundamental  na  história  da  cultura  científica  europeia  e  mundial.  Um  património  que  a  UC candidatou a Património Mundial da UNESCO.

No dia 22 de Junho de 2013, o Comité  do Património Mundial, reunido no  Camboja  de 16 a 27 de Junho, aprovou com entusiasmo a candidatura "Universidade de Coimbra - Alta e Sofia", Bem que está agora inscrito na Lista de Património Mundial da UNESCO, segundo os critérios II, IV e VI.

A Universidade de Coimbra é também detentora da primeira Cátedra Unesco em Portugal no domínio das Ciências Naturais, das cerca de 200 neste domínio que existem no mundo, e resulta de uma exigente avaliação por peritos internacionais desta Agência especializada das Nações Unidas, após candidatura da UC, 

designada  por  “Cátedra  UNESCO  Biodiversity  Safeguard  for  Sustainable  Development  (Biodiversidade  e Conservação para o Desenvolvimento Sustentável).

Além do grande prestígio, a obtenção da Cátedra UNESCO expressa o reconhecimento da excelência do ensino e do trabalho científico desenvolvidos na Universidade de Coimbra, no domínio da biodiversidade e ecologia.

Com a missão de promover e potenciar o desenvolvimento de programas de formação, pesquisa e desenvolvimento  no  ensino  superior  através  da  constituição  de  redes  interuniversitárias,  estimulando  a cooperação  internacional  através  da  transferência  de  conhecimento,  as  Cátedras  UNESCO  apostam igualmente na criação de centros de excelência  destinados a estudos especializados e à investigação avançada com o apoio da comunidade internacional.

Num só século, há notícia das piores atrocidades e dos avanços tecnológicos mais rápidos da história conhecida do Homem. Na Universidade de Coimbra doutorou-se o único Nobel da Medicina português e foi reitor o primeiro Presidente da República Portuguesa eleito.

No  mesmo  período  em  que  se  assistiu  à  democratização  do  ensino  na  Europa  e  em  Portugal,  a Universidade de Coimbra confirmou o seu grande prestígio, fruto não só de um passado único como também de uma tarefa laboriosa de adaptação constante a um mundo em mutação acelerada.

Atualmente, a Universidade constitui um verdadeiro ícone de Portugal, não só na Europa e nos países e territórios onde se fala Português, mas no mundo.

www.uc.pt


Ficha Técnica